18 coisas que me tiram do sério

Partilha!

 

Epá, ele há coisas que me tiram do sério!

Daquelas que, às vezes, parecem minúsculas…
mas tocam no fusível do nervo!

Coisas do tipo:

 GENTE MAL CRIADA.
Sem filtros, nem princípios. Que entram pela nossa liberdade adentro.

2   BANANOS CONDUTORES DOMINGUEIROS.
Saem à estrada uma vez por semana (se tanto) e são donos do asfalto.

 ESCOLHER O TOQUE DE TELEMÓVEL EM PÚBLICO.
A pessoa acaba de comprar um bichinho novo. A primeira coisa que faz, depois de ligar o dito cujo, é correr a lista de toques de alto a baixo. Repetidamente! Até encontrarem (ou não) o premiado. Tudo isto, partilhado com quem quer seja que esteja por perto.

 FURA FILAS.
Em todo o lado! Confesso, eu já tirei partido na minha gravidez. Aí sim, fazia uso da prioridade! E não sou nenhuma santa, também o faço como um bom comum mortal. Mas tenham educação pá. Ou classe…

 UNHAS QUE SE PARTEM.
Bolas, nunca é um bom momento, é sempre uma catástrofe. Fica ali uma unha manca, deserdada, qual ovelha negra de um rebanho de 10 cordeiros. (Esta, só as senhoras entenderão…)

6   A ÚLTIMA FOLHA DE PAPEL HIGIÉNICO.
E se não estamos na nossa casa, pior ainda! E o caos real é quando não há rolo sucessor. Desencadeia-se todo um processo de gestão processo de cm2 de papel fofo…

7   ACORDAR CEDO.
Mas pior pior, é deitar cedo. Não há grande remédio. As coisas são como são… Aguenta coração!

8   GRUNHOS NA ESTRADA.
Não têm de ser domingueiros. São coisas diferentes. Falamos aqui daquela raça que faz da estrada um ringue. Uma passadeira vermelha para a capa do CM Tv. Sempre prontos para uma boa zaragata no alcatrão. Emancipam-se das suas viaturas à primeira oportunidade. Eles andem aí!

 NÓDOAS QUE NÃO DESAPARECEM NA LAVAGEM.
Ou aquelas que aparecem… Tipo novas cores que nem sabia que existiam. Parece a minha filha a perguntar “o que faz castanho com rosa” Hã?! Sei lá, alguém experimentou no tempo dos guaches na escola? Pois no processo de debotagem, isso pode acontecer…

10   AQUELA MELGA QUE PAIRA QUANDO QUEREMOS DORMIR.
Parece que nascem à noite. Só aparecem no momento em que vamos dormir. Trazem aquela sinfonia que, a mim, me tira do sério. É oficial, PÉS FRIOS e MELGAS, à noite, estragam qualquer momento de prazer de dormir.

11   MALHAS NOS COLLANTS.
Um dos flagelos femeninos. Raras são as vezes que temos um par suplente. E nem sempre há uma loja de chineses por perto que remedeie a coisa. (outra dedicada à feminilidade, por princípio)

12   PINGO NO NARIZ.
Epá, que nervos! Não é constipação, não é gripe, não é porra nenhuma. É só um pingo que teima em existir. Qual fonte de água cristalina que nasce numa serra do nosso maravilhoso Portugal, mas dentro de nós. Nariz vermelho, assado, molhado, não respiramos com jeito e temos aquele ar sexy anasalado. Até que passe. quando passar…

13   ÚLTIMO TRAÇO DE BATERIA DO TELEMÓVEL.
E nunca, mas nunca, há um carregador por perto. E sempre, mas sempre, estamos a aguardar uma chamada, ou estamos prestes a tirar “aquela” foto, ou a meio de um sms. Enfim, nunca dá grande jeito. Mas os power bank estão na moda e resolvem este problema. Uma maravilha!

14   PARQUÍMETROS.
É agora que digo um palavrão! F#%$&-se! Já acho um absurdo temos de pagar para estacionar num sítio público, quando pagamos impostos para tantas coisas… Mas pior ainda é: já que temos de pagar, não há moedas no bolso. Não há multibanco por perto e, já agora, um café, para conseguirmos trocar o dinheiro que levantámos. Ah, e até estamos com pressa… Que nervos!

15   CRAVAS DE CIGARROS.
Eu até sou fumadora (ainda…). Uma vez ou outra, não baptiza ninguém de crava. Mas, a toda a hora?! Vá lá, habilitam-se a ouvir um “acabei de fumar o último”. Só para não ser agressiva…

16   CHUVA MOLHA PARVOS.
Molha parvos e quem anda debaixo dela. É aquela que nem coiso, nem sai de cima, sabem? Não chega para abrir o chapéu de chuva, mas molha! Nem se vê que está a cair, mas molha! A pessoa pensa, vou só ali, é rápido. Chega lá,… molhada! Pois tá claro.

17   TIRAREM O PRATO DA FRENTE.
Tipo restaurante chinês. Parece uma maratona, em que os empregados devem estar na esquina da sala, debaixo da mesa ou mesmo à porta da cozinha. Provavelmente é uma competição, em que ganha quem no final da noite tiver apanhado mais pratos da mesa. Bolas pá, ainda nem arrumei os talheres. Calma! Quase que apetece pegar numa buchinha de pão para limpar o prato até à última migalha de comida. Hão-de esperar até eu acabar de comer. Se não se importarem…

18   PISAR UM MONTE DE …… BOSTA DE CÃO.
Ah e tal, dá sorte.
Dá, dá! Não tenhas um monte de erva molhada mesmo à mão a ver a sorte que te dá.

Podia continuar? Podia…
Mas não era a mesma coisa.

Por isso, fico-me por esta “pequena” lista.
E a ti, o que te irrita?

 

 

 

Leave a Comment